Colaborações do NEPA

Continuando as colaborações externas, coloco aqui alguns artigos e pesquisas enviadas pelo Professor Roosevelt S. Fernandes, coordenador do NEPA – Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental, ligado a Faculdade Brasileira UNIVIX, Vitória ES. 

Criado em 2003, o NEPA vem se dedicando a análise da percepção ambiental em segmentos formadores de opinião. Todas as pesquisas desenvolvidas pelo NEPA, usam metodologia desenvolvida pelo próprio núcleo.

Artigos e pesquisas do NEPA:

a) Perfil do NEPA.pdf;

b) Proposta do ENADE ambiental.pdf

c) Pesquisa_Estadual.pdf

d) Artigo_CEFET-rj.pdf

e) Uso racinal da água – artigo.pdf

f) Pesquisa MEC – NEPA.pdf

g) Percepção Ambiental da Epresa MARMOCIL LTDA.pdf

h) Percepção Ambiental frente à problemática da água.pdf

i) Avaliação do prefil de Cidadania Ambiental.pdf

j) Uso da percepção ambiental como instrumento de gestão.pdf

——————————————————————————————

Obs.:
a) As colaborações externas não refletem, necessariamente, as opiniões e os trabalhos do responsável pelo blog, sendo este eu mesmo que vos escrevo, Declev Reynier Dib-Ferreira.
b) São, portanto, de inteira responsabilidade dos seus autores, a quem eu descerro um espaço para divulgação de seus trabalhos, pesquisas, artigos, publicações.
c) Se você gostaria de fazer o mesmo, entre em contato.

6 comentários sobre “Colaborações do NEPA

  1. PROPOSTA DE PARCERIAS EM PESQUISAS VOLTADAS À AVALIAÇÃO DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL E SOCIAL EM SEGMENTOS FORMADORES DE OPINIÃO

    Roosevelt S. Fernandes, M. Sc.
    Coordenador do Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental / NEPA
    roosevelt@ebrnet.com.br

    Resumo:
    O presente artigo visa divulgar, ainda que em caráter de síntese, a linha de pesquisa desenvolvida pelo Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental / NEPA (Brasil), que atua sem fins lucrativos, oferecendo condições de estruturação de parcerias voltadas a estudos conjuntos a serem desenvolvidos, como apoio do NEPA, por grupos de pesquisa ou instituições de ensino superior (públicas ou privadas), ligados ao uso dos estudos de percepção como instrumentos de gestão de baixo custo.

    Palavras chaves:
    Percepção ambiental, pesquisas de avaliação, desenvolvimento de parcerias

    Em 2003, no Brasil, decidimos criar um grupo (envolvendo pesquisadores Mestres e Doutores) – denominado “Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental / NEPA”, voltado especificamente ao estudo da percepção ambiental e social em segmentos formadores de opinião, tendo como foco prioritário estudantes e professores de diferentes níveis de ensino (fundamental ao superior).
    O interesse por este tema advém de 1989, quando realizamos nossa especialização (no Japão) em Engenharia Ambiental, quando tivemos nosso primeiro contato com o assunto, quando, na oportunidade, inferimos que este instrumento (de baixo custo) poderia ser útil para avaliar a eficácia de programas de Educação Ambiental que, como então Gerente Geral de Engenharia Ambiental de uma grande empresa brasileira (Vale do Rio Doce), que vinha sustentando financeiramente significativos na área de educação Ambiental, sem que os envolvidos na implantação de tais programas tivessem, agregados a seus planos de trabalho, nenhum tipo de avaliação como essa.
    Aos poucos – fato consolidado em 2003 através da criação do NEPA – quando aposentamos e passamos a atuar como coordenador de um curso de Engenharia foi possível estruturar o grupo, alocando professores de diferentes formações (Química, Estatística, Sociologia, Psicologia, Medicina, Farmácia, entre outros) interessados em assuntos ligados à área ambiental.
    As primeiras pesquisas foram realizadas com estudantes e professores da instituição de ensino superior a que estamos ligados (UNIVIX), fato que se mostrou de grande importância sob o prisma acadêmico, uma vez que permitiu, tanto para professores como alunos, identificar (e quantificar) o que denominamos chamar de “lacunas do conhecimento ambiental” dos grupos analisados.
    As informações quantificadas deram base a um plano de intervenção direta nos pontos identificados através da pesquisa de avaliação do nível de percepção ambiental e social dos grupos de alunos e professores..
    Nesta fase – o que consideramos um elemento de sustentação do sucesso do nosso grupo de pesquisa – desenvolvemos uma metodologia própria de trabalho , inclusive com a definição de questionários específicos a serem aplicados aos amostrados.
    Daí para as pesquisas de maior amplitude – realizadas com estudantes participantes da II e III Conferências Nacional Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente (promovidas pelo Ministério da Educação / MEC), a realizada com gestores ambientais vinculados a um programa de formação de gestores ambientais do Ministério do Meio Ambiente / MMA, entre outros – chegamos a desenvolver pesquisa semelhante em apoio a Associação Portuguesa de Educação Ambiental (ASPEA – Portugal), pesquisas estas que, progressivamente (ampliação do banco de dados do NEPA), confirmaram ser a opção um instrumento de avaliação da eficácia de programas de Educação Ambiental, advindos de iniciativas públicas e / ou privadas.
    A metodologia foi levada para outras instituições de ensino superior (Projeto ENADE Ambiental, estruturado pelo NEPA), pesquisas também foram realizadas com outros diferentes segmentos da sociedade – casos das análises, por exemplo, do nível de conhecimento da legislação ambiental básica e da percepção em relação à temática das Mudanças Climáticas (esta pesquisa em andamento), entre outras – que foram elementos imprescindíveis para a consolidação do banco de dados que o NEPA conta hoje.
    Como o NEPA foi criado sem fins lucrativos – nenhum dos professores envolvidos recebe qualquer tipo de remuneração por seu trabalho, sendo que os bolsistas (pesquisadores de campo) recebem bolsas decorrentes de recursos advindos de empresas (Vale do Rio Doce, ArcelorMittal e Aracruz Celulose, para explicitar as mais representativas) – dado o grande número de consultas para apoio a várias outras instituições de ensino interessadas em desenvolver pesquisas na área (orientação a trabalhos de pesquisa em desenvolvimento), optamos por estruturar uma linhas de parcerias com tais instituições, fato que se iniciou com a ASPEA, referência já explicitada.
    Algumas dessas pesquisas podem ser acessadas através de http://www.pluridoc.com , pesquisando “roosevelt s. fernandes”, grupo de trabalhos que pode dar uma maior visibilidade a linha de pesquisa desenvolvida pelo Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental / NEPA, nos últimos seis anos.
    Hoje, efetivamente, a linha de pesquisa do NEPA não se prende unicamente a pesquisas com foco ambiental, como é o caso do trabalho “Avaliação da percepção de estudantes universitários diante do tabagismo” e, de pesquisa conseqüente da anterior (esta em andamento) voltada à “Avaliação da motivação de estudantes dos níveis fundamental e média da rede pública do estado do Espírito Santo frente ao início do vício de fumar”.
    O objetivo deste artigo é o de oferecer a grupos e/ou instituições de pesquisa – públicas, preferencialmente (apesar de também trabalharmos com grupos privados; neste caso a retribuição se dá através da concessão de bolsas para os pesquisadores de campo do NEPA) – que tenham interesse em desenvolver pesquisas ligadas à avaliação de percepção (ambiental ou não), um caminho de parceria – sem ônus – com o NEPA.
    Este tipo de apoio pode ser realizado através de sistema on line, quando se define os reais objetivos da pesquisa, universo da amostra, plano de amostragem de informações (geralmente, +- 5% de erro e 95% de intervalo de confiança), estruturação do questionário da pesquisa, testes preliminares de verificação do instrumento, forma de coleta dos dados (de modo a poderem ser alimentados no sistema SPSS), entre outros.
    Faz parte desta etapa inicial o treinamento daqueles (inclusive o processo de seleção dos mesmos) que farão a aplicação da pesquisa de campo, de modo a assegurar a plena confiabilidade das informações coletadas.
    Na etapa seguinte – tabulação e análise dos dados – caso a entidade e/ou instituição tenha condições de consolidar o processo, o NEPA atua como assessoria de apoio; em caso de impossibilidade, os dados coletados (questionários preenchidos na fase de campo) podem ser enviados ao NEPA (no Brasil) que se encarrega, através de seus bolsistas, de estruturar a tabulação dos mesmos e a emissão do relatório preliminar da pesquisa que, depois, em trabalho conjunto, é concluído pelas partes.
    O trabalho final poderá ser divulgado (encontros, seminários e congressos científicos) por qualquer uma das partes, desde que explicite a outra envolvida, estimulando-se que tais divulgações sejam feitas através de iniciativas conjunta das partes envolvidas na parceria.
    Os interessados em discutir a possibilidade de estruturação de parcerias deverão fazer contato através do e-mail roosevelt@ebrnet.com.br para que se possa, de forma concreta e específica, desenvolver as discussões. Certamente, nestes casos, são disponibilizadas todas as pesquisas disponíveis no banco de dados do NEPA que tenham afinidade com a pesquisa em evolução.
    Em síntese, o objetivo maior que move o NEPA é o de ampliara adoção das avaliações dos níveis de percepção (ambiental, social ou não) na qualidade de instrumento de gestão para a estruturação de planos de intervenção em relação as não conformidades de conhecimento identificadas durante as pesquisas.

    Roosevelt S. Fernandes, M. Sc.
    Coordenador do Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental / NEPA
    roosevelt@ebrnet.com.br

  2. O segmento empresarial e as mudanças climáticas

    Pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (Dez. / 2009) identificou que 97% das indústrias têm conhecimento do tema mudanças climáticas, com 33% admitindo conhecer bem o assunto. Em relação ao porte das empresas que admitem conhecer bem o tema, observa-se um equilíbrio entre as de pequeno (30,2%) e as de grande porte (36,5%), evidenciando que o conhecimento está identificado ao longo de toda a cadeia industrial.
    Para 47% das empresas afetadas em relação à obrigação de reduzir as suas emissões de gases com efeito estufa, acreditam que os custos serão significativos (17,2% não souberam responder). Os setores industriais que admitem ser afetados estão o de refino de petróleo, borracha, couro, vestuário, entre outras.
    No segmento industrial 69% acreditam que a preocupação com o meio ambiente é o estímulo mais representativo para que as empresas reduzam suas emissões de gases. O percentual de empresas que pretendem adotar medidas de redução das emissões passa de 42,7% no segmento das pequenas para 66,4% entre as grandes empresas. Destaque para os setores de álcool, bebidas e borracha.
    A sondagem especial da CNI evidencia que 62% das indústrias que conhecem o tema mudanças climáticas já adotaram ou pretendem adotar ações que reduzam suas emissões de gases. O destaque entre as que já adotaram ações concretas fica com os setores de álcool (91,7%), borracha (80,0%) e refino de petróleo (72,7%).
    Observa-se que 75% das indústrias pesquisadas reduziram ou pretendem reduzir o consumo de energia tendo como objetivo a redução de suas emissões de gases estufa. Estas ações se prendem a redução do consumo (74,9%), a substituição de fontes de energia (42,6%) seguido da instalação de equipamentos para medir e controlar as emissões (30,4%), merecendo destaque que entre as empresas que admitiram não adotarem nenhuma ação nos próximos dois anos, destaca-se a doção do processo de inventário de suas emissões, informação básica para qualquer empresa iniciar qualquer processo de intervenção em relação à redução das emissões.
    Entre os fatores que levam as indústrias a atuarem em termos de redução de suas emissões tem-se: preocupação com o meio ambiente (69,2%), imagem no mercado (44,0%), exigência legal (31,4%), incentivo fiscal ou creditício (28,0%), demanda dos clientes (12,8%) e oportunidades de lucro (11,0%).
    Quando perguntados a respeito do impacto sobre as empresas decorrentes das ações a serem adotadas, observa-se que a opção “não sabe” oscilou (comparativamente entre os grupos que admitem conhecer pouco e conhecer bem o problema das mudanças climáticas) entre 4,8% e 23,4%. A opção “não afeta os negócios da empresa” varia, na mesma escala de comparação, entre 24,7% e 33,8%.
    Entre as ações adotadas pelas empresas tem-se: redução do consumo de energia (74,9%), substituição de fontes de energia para outras de menor nível de emissão (42,6%), instalação de equipamentos para medir e controlar as emissões (30,4%), desenvolvimento de projetos que compensem as emissões (24,3%), estímulo aos fornecedores para que reduzam suas emissões (21,9%), elaboração de inventário de suas emissões (19,4%) e financiamento de ações desenvolvidas por terceiros (2,8%).
    No fim de Maio para saber o que a sociedade da Grande Vitória pensa a respeito desse mesmo tema, pesquisa desenvolvida pelo Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental, que trará informações importantes para melhor conhecer o cenário das mudanças climáticas.

    Roosevelt S. Fernandes
    Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental / NEPA

  3. PERCEPÇÃO AMBIENTAL DA SOCIEDADE – REGIÃO
    DA GRANDE VITÓRIA (ES) – FRENTE À PROBLEMÁTICA DAS
    MUDANÇAS CLIMÁTICAS

    Pesquisa estruturada e desenvolvida pelo Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental / NEPA
    Coordenador do NEPA: Roosevelt S. Fernandes, M. Sc.
    roosevelt@ebrnet.com.br

    Apoio para desenvolvimento da pesquisa: Brasitália Mineradora Espírito Santense

    Perg. 1 – Igreja/Nível Social:

    Frequency Percent
    Católica A 240 25,0
    Católica B 240 25,0
    Evangélica A 240 25,0
    Evangélica B 240 25,0
    Total 960 100,0

    Perg. 1.1 – Idade:

    Frequency Percent
    14 3 ,3
    15 51 5,3
    16 59 6,1
    17 72 7,5
    18 65 6,8
    19 26 2,7
    20 22 2,3
    21 25 2,6
    22 20 2,1
    23 22 2,3
    24 28 2,9
    25 25 2,6
    26 20 2,1
    27 19 2,0
    28 19 2,0
    29 15 1,6
    30 27 2,8
    31 12 1,3
    32 19 2,0
    33 14 1,5
    34 23 2,4
    35 14 1,5
    36 9 ,9
    37 18 1,9
    38 16 1,7
    39 11 1,1
    40 11 1,1
    41 21 2,2
    42 14 1,5
    43 12 1,3
    44 16 1,7
    45 12 1,3
    46 15 1,6
    47 13 1,4
    48 9 ,9
    49 12 1,3
    50 14 1,5
    51 15 1,6
    52 10 1,0
    53 8 ,8
    54 6 ,6
    55 13 1,4
    56 6 ,6
    57 8 ,8
    58 8 ,8
    59 5 ,5
    60 13 1,4
    61 8 ,8
    62 6 ,6
    63 9 ,9
    64 5 ,5
    65 4 ,4
    66 8 ,8
    67 4 ,4
    68 4 ,4
    70 7 ,7
    71 1 ,1
    72 4 ,4
    73 1 ,1
    76 4 ,4
    Total 960 100,0

    Perg. 1.2 – Sexo:

    Frequency Percent
    Não respondeu 4 ,4
    Masculino 400 41,7
    Feminino 556 57,9
    Total 960 100,0

    Perg. 1.3 – Município:

    Frequency Percent
    Vitória 240 25,0
    Vila Velha 240 25,0
    Serra 240 25,0
    Cariacica 240 25,0
    Total 960 100,0

    Perg. 1.4 – Estado Civil:

    Frequency Percent
    Não respondeu 10 1,0
    Casada/o 418 43,5
    Solteira/o 460 47,9
    Outro 72 7,5
    Total 960 100,0

    Perg. 1.5 – Religião:

    Frequency Percent
    Católico 480 50,0
    Evangélico 480 50,0
    Total 960 100,0

    Perg. 1.6 – Cor:

    Frequency Percent
    Não respondeu 14 1,5
    Branca 437 45,5
    Negra 156 16,3
    Parda 315 32,8
    Amarela 38 4,0
    Total 960 100,0

    Perg. 1.7 – Nível de Renda Pessoal:

    Frequency Percent
    Não respondeu 10 1,0
    No momento estou desempregado 283 29,5
    Abaixo de R$ 500,00 88 9,2
    Entre R$ 501,00 a R$ 1.000,00 225 23,4
    Entre R$ 1.001,00 e R$ 2.000,00 148 15,4
    Entre R$ 2.001,00 e R$ 3.000,00 84 8,8
    Entre R$ 3.001,00 e R$ 4.000,00 57 5,9
    Entre R$ 4.001,00 e R$ 5.000,00 32 3,3
    Acima de R$ 5.001,00 33 3,4
    Total 960 100,0

    Perg. 1.8 – Nível de Instrução:

    Frequency Percent
    Não respondeu 4 ,4
    Não tenho estudo 17 1,8
    Primeiro grau incompleto 96 10,0
    Primeiro grau completo 50 5,2
    Segundo grau incompleto 177 18,4
    Segundo grau completo 290 30,2
    Terceiro grau incompleto 174 18,1
    Terceiro grau completo 89 9,3
    Pós graduado 63 6,6
    Total 960 100,0

    Perg. 1.9 – Leitura de jornais/revistas:

    Frequency Percent
    Não respondeu 12 1,3
    Somente leio às vezes 417 43,4
    Leio Regularmente 462 48,1
    Não tenho costume de ler jornais e revistas 69 7,2
    Total 960 100,0

    Perg. 1.10 – Assiste TV:

    Frequency Percent
    Não respondeu 17 1,8
    Às vezes 350 36,5
    Regularmente 560 58,3
    Não tenho costume 33 3,4
    Total 960 100,0

    Perg. 1.11 – Cite o nome de um político capixava que mais tem demonstrado envolvimento com os assuntos ligados à temática das Mudanças Climáticas:

    Frequency Percent
    Não respondeu

    Respondeu

    Observação: a relação de nomes explicitados e as respectivas freqüências de citação são apresentados em tabela
    em separado.

    Perg. 1.12 – Já participou de alguma “Audiência Pública” convocada por um órgão ambiental para discutir problemas relacionados ao Meio Ambiente:

    Frequency Percent
    Não respondeu 3 ,3
    Sim 89 9,3
    Não 853 88,9
    Não sei o que é uma “Audiência Pública” 15 1,6
    Total 960 100,0

    Perg. 1.13 – Já participou, no município onde você mora, de alguma atividade (reunião da comunidade, palestra, mutirão, etc.) ligada ao Meio Ambiente:

    Frequency Percent
    Não respondeu 2 ,2
    Não 415 43,2
    Não, mas gostaria 381 39,7
    Sim 162 16,9
    Total 960 100,0

    Perg. 2.1.1 – Em relação a cada um dos termos abaixo relacionados, diga o seu nível de conhecimento em relação a cada um deles: Biodiversidade

    Frequency Percent
    Não respondeu 12 1,3
    Não sei o que é 110 11,5
    Já ouvi falar, mas não sei o que é 227 23,6
    Sei o que é 611 63,6
    Total 960 100,0

    Perg. 2.1.2 – Em relação a cada um dos termos abaixo relacionados, diga o seu nível de conhecimento em relação a cada um deles: Metano

    Frequency Percent
    Não respondeu 15 1,6
    Não sei o que é 163 17,0
    Já ouvi falar, mas não sei o que é 286 29,8
    Sei o que é 496 51,7
    Total 960 100,0

    Perg. 2.1.3 – Em relação a cada um dos termos abaixo relacionados, diga o seu nível de conhecimento em relação a cada um deles: Efeito Estufa

    Frequency Percent
    Não respondeu 18 1,9
    Não sei o que é 51 5,3
    Já ouvi falar, mas não sei o que é 111 11,6
    Sei o que é 780 81,3
    Total 960 100,0

    Perg. 2.1.4 – Em relação a cada um dos termos abaixo relacionados, diga o seu nível de conhecimento em relação a cada um deles: Mudanças Climáticas

    Frequency Percent
    Não respondeu 17 1,8
    Não sei o que é 39 4,1
    Já ouvi falar, mas não sei o que é 91 9,5
    Sei o que é 813 84,7
    Total 960 100,0

    Perg. 2.1.5 – Em relação a cada um dos termos abaixo relacionados, diga o seu nível de conhecimento em relação a cada um deles: Crédito de Carbono

    Frequency Percent
    Não respondeu 24 2,5
    Não sei o que é 406 42,3
    Já ouvi falar, mas não sei o que é 280 29,2
    Sei o que é 250 26,0
    Total 960 100,0

    Perg. 2.1.6 – Em relação a cada um dos termos abaixo relacionados, diga o seu nível de conhecimento em relação a cada um deles: Chuva Ácida

    Frequency Percent
    Não respondeu 17 1,8
    Não sei o que é 195 20,3
    Já ouvi falar, mas não sei o que é 193 20,1
    Sei o que é 555 57,8
    Total 960 100,0

    Perg. 2.1.7 – Em relação a cada um dos termos abaixo relacionados, diga o seu nível de conhecimento em relação a cada um deles: Agenda 21

    Frequency Percent
    Não respondeu 15 1,6
    Não sei o que é 635 66,1
    Já ouvi falar, mas não sei o que é 152 15,8
    Sei o que é 158 16,5
    Total 960 100,0

    Perg. 2.1.8 – Em relação a cada um dos termos abaixo relacionados, diga o seu nível de conhecimento em relação a cada um deles: Dióxido de Carbono

    Frequency Percent
    Não respondeu 18 1,9
    Não sei o que é 159 16,6
    Já ouvi falar, mas não sei o que é 198 20,6
    Sei o que é 585 60,9
    Total 960 100,0

    Perg. 2.1.9 – Em relação a cada um dos termos abaixo relacionados, diga o seu nível de conhecimento em relação a cada um deles: Clorofluorcarbonos

    Frequency Percent
    Não respondeu 20 2,1
    Não sei o que é 348 36,3
    Já ouvi falar, mas não sei o que é 241 25,1
    Sei o que é 351 36,6
    Total 960 100,0

    Perg. 2.1.10 – Em relação a cada um dos termos abaixo relacionados, diga o seu nível de conhecimento em relação a cada um deles: Aquecimento Global

    Frequency Percent
    Não respondeu 18 1,9
    Não sei o que é 30 3,1
    Já ouvi falar, mas não sei o que é 92 9,6
    Sei o que é 820 85,4
    Total 960 100,0

    Perg. 2.1.11 – Em relação a cada um dos termos abaixo relacionados, diga o seu nível de conhecimento em relação a cada um deles: Biocombustíveis

    Frequency Percent
    Não respondeu 13 1,4
    Não sei o que é 69 7,2
    Já ouvi falar, mas não sei o que é 167 17,4
    Sei o que é 711 74,1
    Total 960 100,0

    Perg. 2.1.12 – Em relação a cada um dos termos abaixo relacionados, diga o seu nível de conhecimento em relação a cada um deles: Camada de Ozônio

    Frequency Percent
    Não respondeu 19 2,0
    Não sei o que é 94 9,8
    Já ouvi falar, mas não sei o que é 134 14,0
    Sei o que é 713 74,3
    Total 960 100,0

    Perg. 2.1.13 – Em relação a cada um dos termos abaixo relacionados, diga o seu nível de conhecimento em relação a cada um deles: Desenvolvimento Sustentável

    Frequency Percent
    Não respondeu 15 1,6
    Não sei o que é 91 9,5
    Já ouvi falar, mas não sei o que é 187 19,5
    Sei o que é 667 69,5
    Total 960 100,0

    Perg. 2.2 – Das opções abaixo, que visam esclarecer as causas das Mudanças Climáticas, qual delas você escolheria:

    Frequency Percent
    Não respondeu 23 2,4
    Atividades humanas são responsáveis pela mudança Climática 672 70,0
    As mudanças climáticas decorrem de causas não humanas 47 4,9
    Não se sabe exatamente a causa das mudanças climáticas 89 9,3
    Os países desenvolvidos inventaram essa estória 19 2,0
    Há exagero e opiniões contrárias em relação às Mudanças 54 5,6
    Não tenho condições de opinar 56 5,8
    Total 960 100,0

    Perg. 2.3 – “A atmosfera da Terra está recebendo a contribuição de milhões de toneladas de gases de efeito estufa que estavam armazenados dentro da Terra logo é de se esperar que a natureza esteja reagindo às novas condições”. Concorda?

    Frequency Percent
    Não respondeu 19 2,0
    Não concordo 84 8,8
    Concordo Parcialmente 387 40,3
    Concordo Plenamente 384 40,0
    Não tenho opinião 86 9,0
    Total 960 100,0

    Perg. 2.4 – “Os países ricos não preservaram suas florestas (as usaram de forma a gerar lucros), mas agora querem nos convencer que devemos preservar as nossas”. Concorda?

    Frequency Percent
    Não respondeu 22 2,3
    Não concordo 143 14,9
    Concordo Parcialmente 388 40,4
    Concordo Plenamente 328 34,2
    Não tenho opinião 79 8,2
    Total 960 100,0

    Perg. 2.5 – A OMS classificou como pandemia a incidência do vírus H1N1, porém resultados até hoje registrados não mostram a plenitude dos efeitos esperados, o que leva a suspeita de que alguns cientistas exageraram sobre a gravidade da doença”. Concorda?

    Frequency Percent
    Não respondeu 16 1,7
    Não concordo 224 23,3
    Concordo Parcialmente 422 44,0
    Concordo Plenamente 150 15,6
    Não tenho opinião 148 15,4
    Total 960 100,0

    Perg. 2.6 – “Como os cientistas dizem que podem prever o clima dentro de 50 anos se não são capazes de prever com exatidão a chuva de amanhã”? Concorda?

    Frequency Percent
    Não respondeu 21 2,2
    Não concordo 207 21,6
    Concordo Parcialmente 287 29,9
    Concordo Plenamente 370 38,5
    Não tenho opinião 75 7,8
    Total 960 100,0

    Perg. 2.7 – “Uma pesquisa mostrou que mais de 80% dos norte-americanos entrevistados se disseram dispostos a mudar seu modo de vida e a limitar seu consumo em favor do meio ambiente”. Concorda?

    Frequency Percent
    Não respondeu 19 2,0
    Não concordo 245 25,5
    Concordo Parcialmente 292 30,4
    Concordo Plenamente 254 26,5
    Não tenho opinião 150 15,6
    Total 960 100,0

    Perg. 2.8 – Como você avalia a citação: “Uma pesquisa indicou que quatro em cada cinco brasileiros (80%) acham que é preciso proteger o meio ambiente ainda que à custa de uma redução do crescimento econômico e da perda de empregos”. Concorda?

    Frequency Percent
    Não respondeu 15 1,6
    Não concordo 335 34,9
    Concordo Parcialmente 334 34,8
    Concordo Plenamente 187 19,5
    Não tenho opinião 89 9,3
    Total 960 100,0

    Perg. 2.9 – Como você avalia a citação: “Dos brasileiros pesquisados 90% deles consideraram o aquecimento global como um problema muito sério”. Concorda?

    Frequency Percent
    Não respondeu 14 1,5
    Não concordo 49 5,1
    Concordo Parcialmente 210 21,9
    Concordo Plenamente 649 67,6
    Não tenho opinião 38 4,0
    Total 960 100,0

    Perg. 2.10 – Como você avalia a participação da mídia (TVs, jornais, revistas, etc) em relação ao processo de esclarecimento a sociedade de assuntos relacionados as Mudanças Climáticas. Concorda?

    Frequency Percent
    Não respondeu 18 1,9
    Divulgam, mas de uma forma não muito fácil de entender 181 18,9
    Divulgam, mas usam uma terminologia muito técnica 217 22,6
    Divulgam uma coisa em um dia e no seguinte dizem o contrário 93 9,7
    Divulga muito pouco tendo em conta a importância do assunto 424 44,2
    Não divulgam nada 27 2,8
    Total 960 100,0

    Perg. 2.11 – No que diz respeito à atuação do Poder Público (Governos Federal, Estaduais e Municipais) em relação às ações ligadas ao Meio Ambiente, qual sua avaliação:

    Frequency Percent
    Não respondeu 19 2,0
    A ação do Poder Público é muito boa 19 2,0
    A ação do Poder Público é razoável 169 17,6
    A ação do Poder Público é fraca 463 48,2
    A ação do poder é muito fraca 290 30,2
    Total 960 100,0

    Perg. 2.12 – “82% dos entrevistados em uma dada pesquisa acreditam que as instituições educacionais não fornecem as habilidades e conhecimentos para preparar os profissionais que ingressarão no mercado, em relação aos desafios impostos pelo meio ambiente. Concorda?

    Frequency Percent
    Não respondeu 23 2,4
    Não concordo 143 14,9
    Concordo Parcialmente 429 44,7
    Concordo Plenamente 232 24,2
    Não tenho opinião 133 13,9
    Total 960 100,0

    Perg. 2.13 – Você conhece alguma Organização Não Governamental (ONG) que tenha finalidade voltada ao Meio Ambiente e que atue no município onde você mora?

    Frequency Percent
    Não respondeu 20 2,1
    Não 857 89,3
    Sim. Neste caso, diga o nome dela: 47 4,9
    Não sei o que é uma ONG ambiental 36 3,8
    Total 960 100,0

    Perg. 2.14 – Como avalia a qualidade de vida do município onde você mora?

    Frequency Percent
    Não respondeu 23 2,4
    Ótima 55 5,7
    Boa 289 30,1
    Regular 365 38,0
    Ruim 132 13,8
    Péssima 93 9,7
    Não sei o que é “qualidade de vida” 3 ,3
    Total 960 100,0

    Perg. 2.15 – Como você avalia a citação: “O aquecimento não causará a desertificação das florestas tropicais, ao contrário. A tendência, no caso da mata Atlântica e da Amazônia, é que elas cresçam”.

    Frequency Percent
    Não respondeu 24 2,5
    Não concordo 700 72,9
    Concordo Parcialmente 180 18,8
    Concordo Plenamente 56 5,8
    Total 960 100,0

    Perg. 2.16 – Como você avalia, no Brasil, a utilização de parte dos recursos da ampliação da exploração das novas reservas de petróleo (Pré Sal) no combate (Fundo Nacional sobre Mudança do Clima) às ações decorrentes das Mudanças Climáticas.

    Frequency Percent
    Não respondeu 42 4,4
    Incoerente, o petróleo redunda nas mudanças climáticas 260 27,1
    Incoerente, contrária à posição brasileira nos fóruns 333 34,7
    Correto. Brasil e mundo precisam de petróleo 110 11,5
    Correto. O Brasil precisa de recursos financeiros 178 18,5
    Correto. Brasil não deve levar em conta opinião de terceiros 37 3,9
    Total 960 100,0

    Perg. 2.17 – Cientistas afirmam que alterações de temperatura registradas no planeta são decorrentes das mudanças climáticas e são unânimes em dizer que o aumento da concentração de gases de efeito estufa na atmosfera modifica o clima da Terra. Concorda?

    Frequency Percent
    Não respondeu 37 3,9
    Não concordo 80 8,3
    Concordo Parcialmente 398 41,5
    Concordo Plenamente 312 32,5
    Não tenho opinião 133 13,9
    Total 960 100,0

    Perg. 2.18 – Você tem costume de acessar sites ligados à temática ambiental?

    Frequency Percent
    Não respondeu 26 2,7
    Não tenho acesso a computador 183 19,1
    Tenho computador, mas não acesso 699 72,8
    Acesso. Cite o nome do site citado: 52 5,4
    Total 960 100,0

    Perg. 2.19 – As empresas privadas têm apoiado iniciativas relacionadas ao meio ambiente no município onde você mora?

    Frequency Percent
    Não respondeu 28 2,9
    Totalmente 39 4,1
    Parcialmente 324 33,8
    Não 259 27,0
    Não sei responder 310 32,3
    Total 960 100,0

    Perg. 2.20 – Dos segmentos relacionados a seguir, indique aquele que mais consome água

    Frequency Percent
    Não respondeu 18 1,9
    Abastecimento Público 291 30,3
    Agricultura 103 10,7
    Comércio 14 1,5
    Pecuária 11 1,1
    Indústria 220 22,9
    Não há grande diferença entre os segmentos 142 14,8
    Não sei responder 161 16,8
    Total 960 100,0

    Perg. 2.21 – Se cada morador do seu município tivesse de separar seu próximo lixo (vidro, plástico, restos de comida, etc) você acredita que:

    Frequency Percent
    Não respondeu 23 2,4
    Ninguém separaria, pois dá muito trabalho 119 12,4
    Só alguns separariam 343 35,7
    Todos separariam 32 3,3
    As pessoas só fariam se houvesse uma lei que obrigasse 329 34,3
    Não fariam, pois a Prefeitura não faria a coleta separada 114 11,9
    Total 960 100,0

    Perg. 2.22.1 – De quem é a responsabilidade de cuidar / zelar pelo meio ambiente: Governo Federal?

    Frequency Percent
    Sim 515 53,6
    Não 445 46,4
    Total 960 100,0

    Perg. 2.22.2 – De quem é a responsabilidade de cuidar / zelar pelo meio ambiente: Governo Estadual?

    Frequency Percent
    Sim 463 48,2
    Não 497 51,8
    Total 960 100,0

    Perg. 2.22.3 – De quem é a responsabilidade de cuidar / zelar pelo meio ambiente: Governo Municipal?

    Frequency Percent
    Sim 538 56,0
    Não 422 44,0
    Total 960 100,0

    Perg. 2.22.4 – De quem é a responsabilidade de cuidar / zelar pelo meio ambiente: Sociedade?

    Frequency Percent
    Sim 787 82,0
    Não 173 18,0
    Total 960 100,0

    Perg. 2.22.5 – De quem é a responsabilidade de cuidar / zelar pelo meio ambiente: Órgãos Ambientais?

    Frequency Percent
    Sim 448 46,7
    Não 512 53,3
    Total 960 100,0

    Perg. 2.22.6 – De quem é a responsabilidade de cuidar / zelar pelo meio ambiente: ONGs ambientalistas?

    Frequency Percent
    Sim 335 34,9
    Não 625 65,1
    Total 960 100,0

    Perg. 2.23 – Na sua casa os assuntos relacionados ao meio ambiente são tratados:

    Frequency Percent
    Não respondeu 19 2,0
    Com muita frequência 75 7,8
    Quase sempre 140 14,6
    Poucas vezes 577 60,1
    Nunca 149 15,5
    Total 960 100,0

    Perg. 2.24.1 – Entre os temas ambientais relacionados a seguir, qual você gostaria de receber maiores informações: Reciclagem

    Frequency Percent
    Sim 345 35,9
    Não 615 64,1
    Total 960 100,0

    Perg. 2.24.2 – Entre os temas ambientais relacionados a seguir, qual você gostaria de receber maiores informações: Emissões de CO2/Efeito Estufa

    Frequency Percent
    Sim 195 20,3
    Não 765 79,7
    Total 960 100,0

    Perg. 2.24.3 – Entre os temas ambientais relacionados a seguir, qual você gostaria de receber maiores informações: Aquecimento Global

    Frequency Percent
    Sim 355 37,0
    Não 605 63,0
    Total 960 100,0

    Perg. 2.24.4 – Entre os temas ambientais relacionados a seguir, qual você gostaria de receber maiores informações: Mudanças Climáticas

    Frequency Percent
    Sim 284 29,6
    Não 676 70,4
    Total 960 100,0

    Perg. 2.24.5 – Entre os temas ambientais relacionados a seguir, qual você gostaria de receber maiores informações: Consumo Sustentável

    Frequency Percent
    Sim 344 35,8
    Não 616 64,2
    Total 960 100,0

    Perg. 2.24.6 – Entre os temas ambientais relacionados a seguir, qual você gostaria de receber maiores informações: Uso Racional da Água

    Frequency Percent
    Sim 285 29,7
    Não 675 70,3
    Total 960 100,0

    Perg. 2.24.7 – Entre os temas ambientais relacionados a seguir, qual você gostaria de receber maiores informações: Poluição do ar

    Frequency Percent
    Sim 196 20,4
    Não 764 79,6
    Total 960 100,0

    Perg. 2.24.8 – Entre os temas ambientais relacionados a seguir, qual você gostaria de receber maiores informações: Poluição das águas

    Frequency Percent
    Sim 238 24,8
    Não 722 75,2
    Total 960 100,0

    Perg. 2.24.9 – Entre os temas ambientais relacionados a seguir, qual você gostaria de receber maiores informações: Crescimento da população

    Frequency Percent
    Sim 216 22,5
    Não 744 77,5
    Total 960 100,0

    Perg. 2.24.10 – Entre os temas ambientais relacionados a seguir, qual você gostaria de receber maiores informações: Pobreza

    Frequency Percent
    Sim 200 20,8
    Não 760 79,2
    Total 960 100,0

    Perg. 2.24.11 – Entre os temas ambientais relacionados a seguir, qual você gostaria de receber maiores informações: Outro assunto. Qual:

    Frequency Percent
    Sim 40 4,2
    Não 920 95,8
    Total 960 100,0

    Perg. 2.25 – Nos últimos dois anos você fez algum curso, participou de algum evento ou palestra, atividade ou programa que fossem dirigidos especificamente relacionados ao Meio Ambiente?

    Frequency Percent
    Não respondeu 36 3,8
    Não 706 73,5
    Sim – Relacionado à mudança climática/outro tema ambiental 218 22,7
    Total 960 100,0

    Perg. 2.26 – Em que mês se comemora a Semana Nacional do Meio Ambiente?

    Frequency Percent
    Não respondeu 164 17,1
    Janeiro 32 3,3
    Março 99 10,3
    Junho 293 30,5
    Agosto 149 15,5
    Dezembro 26 2,7
    Nenhum dos meses acima 197 20,5
    Total 960 100,0

    Perg. 2.27 – As associações comunitárias do município onde você mora têm demonstrado preocupação com a discussão dos problemas ambientais que afetam a comunidade?

    Frequency Percent
    Não respondeu 28 2,9
    Sim, com frequência 35 3,6
    Às vezes 175 18,2
    Não 280 29,2
    Não conheço as associações comunitárias locais 384 40,0
    Não há na comunidade uma liderança comunitária definida 58 6,0
    Total 960 100,0

    Perg. 2.28 – Tendo em conta a citação a seguir, qual a sua escolha: “No conflito entre crescimento econômico e desenvolvimento sustentável, de que lado você fica?”

    Frequency Percent
    Não respondeu 31 3,2
    Totalmente do lado do desenvolvimento econômico 38 4,0
    Totalmente do lado do desenvolvimento sustentável 266 27,7
    Minha posição depende da análise de cada situação 306 31,9
    Não há como ter desenv. sustent. se o objetivo é o econômico 106 11,0
    Nem um, nem outro 54 5,6
    Não sei responder 159 16,6
    Total 960 100,0

    Perg. 2.29 – No seu dia-a-dia (residência, escola, trabalho, etc) já identificou alguma ação que poderia fazer (ou sugerir que fosse feita), de modo a contribuir de forma positiva para o Meio Ambiente?

    Frequency Percent
    Não respondeu 32 3,3
    Não 496 51,7
    Sim. Qual? 169 17,6
    Sim, mas ainda não consegui convencer os outros a adotá-la 263 27,4
    Total 960 100,0

    Perg. 2.30 – Você se interessa por assuntos relacionados com Meio Ambiente?

    Frequency Percent
    Não respondeu 26 2,7
    Sim 406 42,3
    Às vezes 424 44,2
    Apenas por alguns assuntos. Cite um deles: 22 2,3
    Não 82 8,5
    Total 960 100,0

    Perg. 2.31 – Qual a sua opinião quanto ao poder da sociedade em reverter o problema decorrente das Mudanças Climáticas

    Frequency Percent
    Não respondeu 37 3,9
    A sociedade tem pouco poder 122 12,7
    A sociedade tem pouco poder, mas deve lutar para ser ouvida 440 45,8
    A sociedade tem pouco poder e não será ouvida 161 16,8
    A sociedade tem poder, mas não influencia em nada 111 11,6
    Não sei opinar 89 9,3
    Total 960 100,0

    Perg. 2.32 – Escolha apenas uma das opções abaixo. Considero que as indústrias:

    Frequency Percent
    Não respondeu 28 2,9
    Investem no Meio Ambiente e procuram cumprir as normas 64 6,7
    Investem no Meio Ambiente, mas continuam a causar poluição 283 29,5
    Não investem no Meio Ambiente e não cumprem as normas 122 12,7
    Omitem informações sobre danos que causam no Meio Ambiente 226 23,5
    Precisam ter apoio do Governo para resolver problemas 36 3,8
    Deveriam utilizar os lucros na solução dos problemas 201 20,9
    Total 960 100,0

    Perg. 2.33 – Escolha uma das opções abaixo. Considero que o Governo (Federal, Estaduais e Municipais):

    Frequency Percent
    Não respondeu 24 2,5
    Investem no Meio Ambiente e procuram cumprir as normas 72 7,5
    Investem no Meio Ambiente, mas ainda causam poluição 386 40,2
    Não investem no Meio Ambiente e não cumprem as normas 164 17,1
    Não investem, nem atuam e não cumprem as normas 274 28,5
    Não investem, pois não precisa atender às exigências 40 4,2
    Total 960 100,0

    Perg. 2.34 – Escolha apenas uma opção abaixo. Você acha que pode haver desenvolvimento econômico e social sem efeitos sobre o Meio Ambiente?

    Frequency Percent
    Não respondeu 24 2,5
    Sim, em todos os casos 156 16,3
    Sim, mas há exceções 450 46,9
    Não. Os impactos são o preço a ser pago pela sociedade 231 24,1
    Não. Os impactos são inerentes ao processo de desenvolv. 69 7,2
    O conceito de desenvolvimento não está ligado à problemática 30 3,1
    Total 960 100,0

    Perg. 2.35.1 – Em sua opinião, entre os itens abaixo marque aqueles (um ou mais) que são prováveis efeitos das Mudanças Climáticas: Aumento de eventos climáticos extremos

    Frequency Percent
    Sim 459 47,8
    Não 501 52,2
    Total 960 100,0

    Perg. 2.35.2 – Em sua opinião, entre os itens abaixo marque aqueles (um ou mais) que são prováveis efeitos das Mudanças Climáticas: Elevação do nível do mar

    Frequency Percent
    Sim 576 60,0
    Não 384 40,0
    Total 960 100,0

    Perg. 2.35.3 – Em sua opinião, entre os itens abaixo marque aqueles (um ou mais) que são prováveis efeitos das Mudanças Climáticas: Derretimento da cobertura de gelo

    Frequency Percent
    Sim 638 66,5
    Não 322 33,5
    Total 960 100,0

    Perg. 2.35.4 – Em sua opinião, entre os itens abaixo marque aqueles (um ou mais) que são prováveis efeitos das Mudanças Climáticas: Redução da disponibilidade de recursos hídricos

    Frequency Percent
    Sim 355 37,0
    Não 605 63,0
    Total 960 100,0

    Perg. 2.35.5 – Em sua opinião, entre os itens abaixo marque aqueles (um ou mais) que são prováveis efeitos das Mudanças Climáticas: Mudanças nos ecossistemas

    Frequency Percent
    Sim 570 59,4
    Não 390 40,6
    Total 960 100,0

    Perg. 2.35.6 – Em sua opinião, entre os itens abaixo marque aqueles (um ou mais) que são prováveis efeitos das Mudanças Climáticas: Desertificação

    Frequency Percent
    Sim 444 46,3
    Não 516 53,8
    Total 960 100,0

    Perg. 2.35.7 – Em sua opinião, entre os itens abaixo marque aqueles (um ou mais) que são prováveis efeitos das Mudanças Climáticas: Influência na Agricultura

    Frequency Percent
    Sim 326 34,0
    Não 634 66,0
    Total 960 100,0

    Perg. 2.35.8 – Em sua opinião, entre os itens abaixo marque aqueles (um ou mais) que são prováveis efeitos das Mudanças Climáticas: Influência na saúde e bem estar da população

    Frequency Percent
    Sim 362 37,7
    Não 598 62,3
    Total 960 100,0

    Perg. 2.35.9 – Em sua opinião, entre os itens abaixo marque aqueles (um ou mais) que são prováveis efeitos das Mudanças Climáticas: Não haverá efeitos decorrentes das mudanças climáticas

    Frequency Percent
    Sim 16 1,7
    Não 944 98,3
    Total 960 100,0

    Perg. 2.35.10 – Em sua opinião, entre os itens abaixo marque aqueles (um ou mais) que são prováveis efeitos das Mudanças Climáticas: Não sei responder

    Frequency Percent
    Sim 67 7,0
    Não 893 93,0
    Total 960 100,0

    A reprodução, citação ou uso de qualquer dos dados constantes dessa
    pesquisa poderá ser realizada após a prévia
    aprovação do NEPA

  4. OS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO SÉCULO XXI

    O diferencial da EA do século XX para a EA que precisamos no século XXI está no fato d3 que não se pode prescindir de e4studos de avaliação da percepção ambiental do segmento a que se pretende estruturar um Programa de EA (diagnóstico prévio para ser usado na estruturação do programa) e outra após a conclusão do mesmo de modo a caracterizar a sua eficácia.

    Um grupo – Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental / NEPA – vem se dedicando há mais de 6 anos a este tipo de estudo (com pesquisas realizadas inclusive no exterior), com um banco de dados que deveria ser acessado por gestores públicos e privados da área de Educação Ambiental, de modo a tomar conhecimento do perfil de percepção ambiental de estudantes e professores dos ensinos fundamental ao superior. Para acessar, entre em http://www.pluridoc.com (base sediada na Europa) e, em seguida, pesquise “roosevelt s. fernandes”.

    Roosevelt S. Fernandes, M. Sc.
    Membro titular dos Conselhos Estadual de Meio Ambiente / CONSEMA e do Estadual de recursos Hídricos / CERH do Estado do Espírito Santo.
    roosevelt@ebrnet.com.br

  5. UMA DISCUSSÃO INADIÁVEL

    CONAMAs REGIONAIS – ENTENDA A PROPOSTA

    É inegável que o Conselho Nacional do Meio Ambiente – criado há mais de três décadas – precisa de uma reformulação voltada a sua adequação a atual realidade ambiental do Brasil.

    Hoje, com mais de 100 conselheiros, pode ser comparado (por força de expressão) a um “Maracanã Ambiental” que lotado dificulta muita as vezes o processo das deliberações.

    Por exemplo, muitas das decisões são tomadas segundo uma visão centralizada – a partir dos olhos de Brasília – mas que poderiam ser melhor deliberadas se o fossem diretamente nas regiões (Biomas) onde os problemas ocorrem e, sobretudo, pelas pessoas / entidades que (efetivamente) vivem o problema. Ou seja, por exemplo, conselheiros das Regiões Sul e Sudeste do Brasil deliberando sobre assuntos ligadas a Caatinga.

    Deste modo, é inadiável que se promova uma AMPLIAÇÃO das atividades do CONAMA, ou seja, um processo de REESTRUTURAÇÃO que possa assegurar mais eficácia ao CONAMA, sem retirar dele a importância que tem no cenário ambiental nacional.

    A proposta é a da criação dos CONAMAS REGIONAIS POR BIOMAS onde os temas específicos de cada Bioma
    possam ser levados a discussão nas regiões onde ocorrem, envolvendo quem conhece a problemática regional.

    Um Bioma é um conjunto de tipos de vegetação que abrange grande áreas contínuas, em escala regional. Que apresenta flora e fauna similares, definida pelas condições físicas predominantes nas regiões. Esses aspectos climáticos, geográficos e litológicos (das rochas), por exemplo, fazem com que uma Bioma seja dotado de uma diversidade biológica singular e própria. No Brasil, por ordem decrescente de tamanho, os Biomas existentes são: Amazônia, Cerrado, Mata Atlântica, Caatinga, Pampa e o Pantanal

    Ao CONAMA caberia manter as discussões e deliberações dos macro temas ambientais (que envolvem dois ou mais Biomas), enquanto aos CONAMAS REGIONAIS caberia, para cada Bioma, o debate e deliberação de temas ligados a tais regiões específicas.

    A criação dos CONAMAS REGIONAIS levaria a seus plenários entidades hoje fora do CONAMA (produto da superlotação) que estariam ligadas a região específica para a qual se pretende uma intervenção ambiental. Um espaço significativo para entidades ambientalistas locais e regionais que dariam uma grande dinamização dos trabalhos.

    Não é novidade a criação de Conselhos Regionais no Brasil; o Estado do Espírito Santo já descentralizou seu Conselho Estadual de Meio Ambiente há mais de 10 anos e, alguns anos depois, de forma própria, o Estado de Mina Gerais evoluiu no memso sentido.
    Portanto, a proposta de criação dos CONAMAS REGIONAIS não é uma novidade a ser testada; é uma experiência muito bem vivenciada que poderá ser adequada ao CONAMA.

    Roosevelt S. Fernandes, M. Sc.
    Conselheiro do Conselho Estadual de Meio Ambiente do Estado do Espírito Santo / CONSEMA – ES
    Coordenador do Núcleo de Estudos em Percepção Ambiental e Social / NEPAS
    roosevelt@ebrnet.com.br

  6. Educação Ambiental – Mudando Paradigmas

    Em reunião realizada (dia 5 de Outubro) no Conselho Estadual de Meio Ambiente (CONSEMA) foram definidos critérios básicos para a estruturação de Programas de Educação Ambiental (estímulo à ação participativa e integrada das comunidades) e de Comunicação Social (auxílio a sociedade a entender o projeto que estará sendo implantado), com foco prioritário na efetiva inserção da sociedade no contexto da discussões destes programas.
    O especialista que irá desenvolver estes programas passa a ter a compulsória obrigação de ouvir previamente o que pensa a sociedade envolvida no projeto sobre a interação empreendimento a ser implantado e os aspectos sociais e ambientais associados.
    Passa a ser exigida a realização de diagnósticos prévios de avaliação da percepção ambiental e social da(s) comunidade(s) afetada(s), informações estas que devem direcionar a estruturação dos programas.
    A percepção ambiental e social dos indivíduos está ligada ao fato de que cada um percebe, reage e responde diferentemente as ações sobre o meio ambiente e o contexto social da região onde vive, contexto que depende dos processos cognitivos, julgamentos e expectativas de cada um. Em síntese o indivíduo é estimulado (conscientizado) pela educação ambiental que recebe, mas se comporta / reage no dia-a-dia através de seu nível de percepção ambiental e social.
    Deste modo, com estes novos critérios definidos pelo CONSEMA, ficam evidenciadas as formas de como deverão ser atendidas, para projetos de significativo impacto ambiental, a estruturação de Programas de Educação Ambiental e Social, que passam a ser seguidas pelo órgão ambiental licenciador.
    Como primeira mudança de paradigma as informações coletadas nos processos prévios de avaliação da percepção ambiental e social da(s) comunidade(s) envolvida(s) deverão ser tabuladas em um sistema onde as mesmas possam ser trabalhadas estatisticamente, ou seja, possam ser correlacionadas, o que amplia em muito a qualidade da interpretação dos resultados.
    As mudanças de paradigma continuam, uma vez que estes dados (tabulados e interpretados) devem ser compulsoriamente discutidos com a(s) comunidade(s) em um evento público convocado pelo órgão ambiental licenciador, sendo os resultado registrados em ata própria que ficará no arquivo do órgão ambiental.
    Mas as mudanças de paradigma não param ai, visto que passa a ser exigido do especialista que irá estruturar os programas que comprove como tais informações, produto da avaliação da sociedade de como a mesma percebe os problemas ambientais e sociais de sua região, que passam a ser base para a estruturação dos Programas de Educação Ambiental e Social.
    Ainda como novidade da nova metodologia aprovada pelo CONSEMA, as pesquisas prévias de avaliação da percepção ambiental e social da(s) comunidade(s), deverão seguir um plano de amostragem dos diferentes segmentos da sociedade que precisam ser consultados (lideranças comunitárias, comunidades tradicionais, professores, entre outros), bem como o número de indivíduos a serem consultados.
    Como se pode perceber, a inciativa do CONSEMA explicita, de forma muito objetiva, a etapa mais importante na estruturação de Programas de Educação Ambiental e Social que é a inserção efetiva, e gerenciada pelo órgão ambiental, da(s) comunidade(s) envolvidas no processo, podendo ser considerada como uma sensível mudança de paradigma em relação ao que até então era adotado.

    Roosevelt S. Fernandes
    Membro do CONSEMA
    roosevelt@ebrnet.com.br

Os comentários estão encerrados