Professores terão que comprovar “melhora” dos alunos, para receber benefícios de formação

Então, tá combinado.

Eu, o governo, não preciso melhorar nem a educação nem as condições sociais dos alunos.

Não preciso dar moradia digna; não preciso verificar cotidianamente as condições familiares; não preciso oferecer saúde e prevenção decentes; não preciso oferecer locais de lazer nem cultura; não preciso dar segurança, deixando o tráfico e a polícia bandida tomar conta das comunidades pra mim; não preciso desenvolver nenhuma rede de proteção nem cumprir à risca o ECA ou quaisquer outras leis.

Eu não preciso nem mesmo melhorar as escolas.

Eu posso deixar a burocracia dificultar o trabalho das escolas; vou deixar o salário dos professores do jeito que está mesmo; nada de buscar uma Educação Integral, com atividades artísticas, esportivas e científicas para além da sala de aula; os materiais e estrutura tecnológica, oferecerei só quando der dinheiro pra algum parceiro, mas sem nenhum projeto mesmo; vou entupir as escolas e salas de aula de alunos, quanto mais melhor, pra gastar menos.

Mas, você, professor, mesmo que estude muito, tem que me provar que “melhora os alunos” pra eu te pagar o que merece.

Ah, e tem que “melhorar os alunos” nas condições que te dou. Nada de ficar reclamando, hein?!

O certificado garantirá aumento salarial ao docente (progressão na carreira), mas só será concedido se houver a comprovação de que seus estudantes melhoraram.

Abraços,

Declev Reynier Dib-Ferreira
Sem mais comentários

4 comentários sobre “Professores terão que comprovar “melhora” dos alunos, para receber benefícios de formação

  1. Oi Declev, assim mesmo que me sinto. Constantemente indignada com o tratamento que as escolas, professores e principalmente os alunos, recebem. Cansada de buscar estatísticas para o governo mostrar que a educação no Brasil está avançando, quando na verdade, sabemos que estamos na contramão da qualidade, o que ocorre é o aumento quantitativo. O excedente de alunos “enfiados” na escola com projetos que acabam por não ter objetivos, só piora a qualidade que buscamos, pois não há infraestrutura para segurar esse “Boom” de alunos sem espaço adequado. Mas o que sempre tento colocar em minhas falas, é que não aceito essa responsabilidade sobre os meus ombros, enquanto educadora. É um conjunto de roubos, desvios e desmandos que nos levam a nadar e morrer na praia. O pior é que quem está morrendo de fato, são as crianças, ou melhor dizendo, o futuro de todos.
    Abraço,
    Emily.

  2. É, Declev… Irrita tanto que dá vontade de mandar tudo pra aquele lugar!!!!
    Está infernal essa situação.
    Nesse final de semana mesmo, conversando com antigos colegas com quem trabalhei nas escolas públicas da baixada, soube, mais uma vez, quantos estão doentes, vivendo de licenças médicas uma atrás da outra…
    Estão exaustos e profundamente desapontados, com razão!
    Dá NOJO tudo isso!!!!!
    E quem mais sofre são os alunos, em primeiro lugar, seguidos pelos professores.
    Que país é esse???????????????
    Tudo é feito por interesses privados, econômicos, e o povão, mais uma vez, que se dane!!! Junto com os professores!!
    E o pior é ver o quanto a população ainda compra essa ideia, acredita nesse bando de carniceiros e ainda parte pra cima dos alunos, como se fossem eles e suas famílias os maiores culpados! E dá-lhe de propostas para baixar a maioridade penal, entre outras medidas travestidas de “soluções” que só vão piorar ainda mais as coisas…
    O professor está sem condições de trabalhar dignamente há muito tempo, mas muitos ainda lutam, embora outros até se aproveitem disso para não dar muito de si, como naquele velho papo: se os salários de professores, bombeiros, médicos da rede pública, policiais… são um absurdo, então eles tem justificativa para serem péssimos profissionais e fazerem todo tipo de “bicos” ou outras coisas por fora. E isso só aumenta a desunião entre as classes de profissionais e aumenta a corrupção e as iniciativas apenas individuais.
    Por isso sempre bato na tecla de que se virar contra os alunos e suas famílias é fazer justamente o que o sistema quer!!! É burrice!
    Você disse tudo em seu texto, mais uma vez. 🙁
    Triste e revoltante realidade…
    Um abraço pra ti…

  3. HaHaHaHaHaHaHaHaHaHaHaHaHaHa…..não parece, mas é uma gargalhada. O governo está trocando os pés pelas mãos.
    Quando as escolas públicas deixaram de ser um ambiente pacífico, um polo de civismo e conhecimento, e se tornaram sucatas onde imperam a violência e a ignorância? São perguntas difíceis, porque nas respostas está o mais árduo trabalho de qualquer governo: largar tudo e investir na educação pública, que começa com salários melhores para professores, escolas profissionalizantes, recuperação das salas de aulas, criação de espaços propícios para a criatividade, educação continuada para os professores, combate à evasão e à repetência, e, talvez, o mais importante: investir na inteligência brasileira. No Brasil, o governo se contenta com uma média 4 no índice oficial de desenvolvimento na educação básica. E aí estão incluídas as escolas públicas e particulares. Sem falar nos 14 milhões de analfabetos que, decididamente, não têm qualquer possibilidade de inclusão social… e o PROFESSOR é o culpado. A população brasileira precisa mostrar repúdio, porque culpar o professor é demais.
    DECLEV parabéns pelo site.

Os comentários estão encerrados