Home » Diário » Comparação de salários entre Niterói e Rio de Janeiro

Comparação de salários entre Niterói e Rio de Janeiro

“Por que uma cidade que tem tantos mestres e doutores de qualidade não consegue fazer um Ideb compatível com os de países desenvolvidos?”.

Esta foi uma das perguntas que a senhora secretária de educação, cláudia costin, fez antes de assumir seu mandato, há uns 5 anos.

Eu respondi a esta questão e a outras, na época, com uma “Carta aberta à futura secretária de educação do Rio de Janeiro, cláudia costin”.

Disse eu nesta carta, entre outras coisas, que:

“Porque mesmo sendo mestres ou doutores de qualidade, temos que trabalhar em dois, três, quatro ou mesmo em cinco lugares diferentes pra poder somar renda e ter um salário “compatível com os de países desenvolvidos”!!!

Sem contar as condições em que trabalhamos, secretária, que nem de longe é “compatível com os de países desenvolvidos”.

A pergunta seria ao contrário: “por que não tratamos como os países desenvolvidos os nossos tantos mestres e doutores de qualidade?”.

Então, é simples: ou se valoriza (com salário compatível, recursos, autonomia, etc.), ou se tem um profissional desmotivado, que vai apenas cumprir seu horário e sua obrigação, mas sem se doar, sem se comprometer, de fato, com seu trabalho.

Sim, senhores, é assim mesmo e NÂO É sacanagem do professor quando ele não dá o melhor de si: é desgaste, é cansaço, é desmotivação, é depressão profissional ou o que mais quiser chamar.

Veja meu caso, senhora secretária.

Sou professor da rede municipal de educação de Niterói e da rede municipal de educação do Rio de Janeiro.

Quando entrei no Rio de Janeiro (dezembro de 2004) eu já estava fazendo 5 anos em Niterói (onde entrei em janeiro de 1999).

Meu salário-base (falarei aqui sobre o salário-base, onde se incide todas as outras porcentagens, benefícios e aposentadoria) em Niterói, à época, era de R$ 700,00. O município do Rio me pagava, logo que entrei, R$ 820,00. Ou seja, o Rio me pagava cerca de 20% A MAIS que Niterói.

Hoje, decorridos quase 10 anos, eu recebo em Niterói R$ 2.545,86. No Rio de Janeiro, após o último maravilhoso reajuste, recebo R$ 1.860,77.

Ou seja, o Rio, hoje, me paga 27% A MENOS que Niterói.

Isso é a maravilhosa gestão da educação do governo paes e cláudia costin, agraciada com prêmios e láureas da educação…

No próximo post falarei sobre a política de valorização por formação da prefeitura do Rio de Janeiro, para continuar mostrando como a secnhora secretária trata seus “mestres e doutores de qualidade”.

Abraços,

Declev Reynier Dib-Ferreira
Sonho dourado: sair do município do Rio

About Declev Dib-Ferreira

Declev Reynier Dib-Ferreira é professor, biólogo, educador ambiental, especialista em EA pela UERJ, mestre em Ciência Ambiental pela UFF, doutor em Ciências pela UERJ.

Check Also

Manifestações contra a Reforma da Previdência – 15 de março de 2017

Hoje ocorreram manifestações contra a Reforma da Previdência. Eu fui. Costumo dizer que, para arrumar …