Cotas raciais: se você é contra, você É RACISTA!

Cotas raciais: se você é contra, você É RACISTA!

Hoje volto ao tema para comprovar a minha tese acima.

Eu escrevi aqui há pouco tempo um artigo intitulado Dia da Consciência Negra, cotas e afins: se você é contra, você é racista!

Parece uma afirmativa por demais contundente, mas eu ofereço ali elementos e argumentos que, ao meu ver, são convincentes para justificar a necessidade destas políticas.

Como eu tento comprovar no referido artigo, considerando a posição e situação social que os negros ocupam hoje, depois de tantas décadas da abolição da escravatura, das duas, uma:  ou você acha que os negros são vagabundos e preguiçosos (então, você é racista), ou você acha que eles foram e ainda são vítimas de uma sociedade que não os dá oportunidades.

Se você pensa da segunda forma, você é a favor das cotas e ações afirmativas. E isso (ser a favor) não excluiu possíveis críticas aos processos ou opiniões de como eles poderiam ser reformulados. Muito pelo contrário, isso faz parte da melhoria deles. Somente deve achar, como eu, que não se pode prescindir deles, por enquanto, na construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

Mas, eu volto a este tema para contar um episódio.

Eu sempre digo a mim mesmo que vou parar de discutir estes temas no Facebook… mas não consigo! De vez em quando, entro em discussões com determinadas pessoas que inicialmente não assumem seu preconceito, mas deixam isso implícito em suas palavras de ódio – ou até mesmo o explicitam.

E é batata: se a pessoa é contra as cotas – mesmo que negue a si mesmo – é preconceituosa e racista.

Então, vi um compartilhamento que alguém fez com uma imagem contra as cotas.

Cotas

Então, escrevi o que penso, de que quem é contra é racista, colocando o link do artigo supracitado, para que a pessoa pudesse ler minhas argumentações. Então, ele argumentou sobre os nordestinos, por que os nordestinos não tinham os mesmos direitos às cotas?

Logicamente, ele não leu meu artigo.

Educação

Então eu, pacientemente, contra-argumentei, afirmando que, por mais dificuldades que tenham e preconceitos que sofram, os nordestinos não sofrem o que os negros sofrem e que, entre os pobres, os negros são os mais pobres. Ainda fiz uma “implicância”, citando o fato de os nordestinos serem identificados como os “porteiros” dos prédios no Rio e em São Paulo. Os negros, como lixeiros.

Argumentei sobre o Bolsa Família, que abrange a todos, assim como outras ações assistenciais e de ajuda social.

racismo

Ao perceber que estas argumentações ainda eram insatisfatórias e ele realmente não tinha lido meu artigo, onde poderia encontrar outras, ainda fiz uma última tentativa.

E eis que, daí, ele comprovou minha tese, deixando sair o que escondia, mal escondido: seu racismo.

preconceito

As “curtidas” nas falas dele são dele mesmo, talvez para não se sentir tão só. Mas, ao final, ainda vem outra racista e afirma: “cotas é para os fracos”.

E, só pra finalizar, faço aqui a pergunta que faria para ele, caso eu não tivesse desistido dele: e se, por acaso, os nordestinos passassem a fazer jus a cotas, isso seria interessante? Seria justo? Aí, então, seria legal?

Preguiça, tristeza, desencanto com o país. É o que sinto.

Abraços,

Declev Reynier Dib Ferreira

6 comentários sobre “Cotas raciais: se você é contra, você É RACISTA!

  1. Estamos na era do pós Darwinismo, na era da involução das espécies, na era em que os primatas estão se tornando répteis, arrastando pela terra suas verdades opinativas, suas bocarras consumidoras de tudo aquilo que outrora se chamava humano.

  2. TEM DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA, MAS SE TEM DIA DA CONSCIÊNCIA BRANCA, ISSO LOGO É RACISMO! PRA O INFERNO COM O SEU “ANTI-RACISMO”!

  3. Oi! Entao… eu li o seu artigo aqui citado. Bom, que comece as críticas! kkkk eu sou sim contra as cotas raciais… não acho que só por que uma pessoa é negra ou índigena ela deva receber uma vaga dedicada a ela. Por exemplo (um exemplo um tanto lúdico, admito), se o senhor presidente Obama fosse fazer Enem ou algum concurso público, ele teria direito à cota. O que é totalmente injusto, já que ele tem mais condições que eu. É claro, que ele é um em um milhão, mas da pra ter uma ideia de onde quero chegar… Eu sou TOTALMENTE a favor de cotas para pessoas mais pobres, e não para negros. E sim, eu acho um absurdo isso, é como se o próprio governo dissesse “sabemos que tratamos os negros como lixo… agora engole essa cota aqui e não vá em busca de seus direitos”. E pra dizer a verdade, eu realmente não acho que os negros sejam tratados diferentes… Chega até ser inocência da minha parte, eu sei, mas eu não consigo notar diferença entre negros e brancos… eu só vejo todos como iguais. A única diferença, a respeito de oportunidades, que eu vejo mesmo é entre classes sociais… e mesmo assim, até o fato de morar em favela não quer dizer que uma pessoa seja pobre. Enfim… tudo isso só pra dizer que não, eu não sou racista. E sim, eu sou contra as cotas raciais.
    obs: espero que o título do seu artigo citado tenha sido apenas sensacionalista e generalizado… 😛
    aliás, ótimo blog! Boa noite >_<

    • Oi Lucy… quanto ao título, é sim o que eu acho… rs

      Algo tem que ser feito para sanar as diferenças históricas São mais de cem anos de racismo e preconceito. Então, as cotas têm este objetivo e, espero, caráter temporário.

      É como a fome: até “aprender a pescar” a pessoa já morreu. Tem que distribuir comida. E não dá pra “aprender a pescar” quando o rio tá seco, os peixes são pegos por grandes embarcações, a vara é fina, o anzol é inadequado… Sem condições, não se pesca.

Os comentários estão encerrados