intervenção militar

Intervenção militar

Acho impressionante quem ainda defende uma intervenção militar no Brasil, especialmente se estudarmos a história da América Latina – repleta de “intervenções” militares e de sangue.

É muita falta de compreensão da História.

Aliás, pra que nos serve a História, se não é para aprendermos com os erros e acertos no sentido de avançar pra frente (sim, pleonasticamente, avançar pra frente)?

Acredito que quem ainda defende uma intervenção militar no Brasil, o faz pensando que os militares estão “acima de quaisquer suspeitas”.

Ora, se o Brasil está “uma bagunça”, se os “ladrões” estão no poder, se a corrupção está generalizada, a solução simplória, para estas pessoas, é “chamar o exército”.

Nada mais, no mínimo, ingênuo. Pensamento linear infantil, que não consegue abranger a complexidade da situação.

Aliás, abranger a complexidade de todas as situações – que, sejam quais forem, têm inúmeros lados – é algo que falta muito às pessoas.

É tipo:

– É ladrão? Mata.

– Tá preso? É bandido.

– É bandido? Tem que morrer.

– É policial? Tá do lado do bem.

– É político? É safado.

E as soluções para os problemas seguem a mesma linha de raciocínio, infantil.

É infantil porque segue o pensamento ainda linear e dedutivo de uma criança. Por que a criança, que esta aprendendo a falar, erra algumas conjugações de verbo? Porque ela segue o pensamento dedutivo linear.

Assim:

– Verbo Comer: comi

– Verbo Beber: bebi

– Verbo Correr: corri

– Verbo Mexer: mexi

Logo,

– Verbo Fazer: fazi

Então, tentando pensar fora da caixinha, olhando para os lados e analisando a situação brasileira em um amplo espectro e em todos os aspectos, podemos deduzir que:

1 – a situação brasileira de corrupção e injustiça atual pode ser consequência das décadas de domínio militar, quando SIM, existia corrupção e injustiça;

2 – não existe “intervenção” militar, mas sim “ditadura” militar;

3 – qualquer das piores democracias com liberdade ainda é melhor que qualquer ditadura sem liberdade;

4 – a tomada do poder pelos militares não vai acabar com a corrupção e injustiça, apenas mudá-las de lado;

5 – existem, sim, muitos problemas a ser enfrentados, como corrupção, injustiças, violência, fome, etc., que devem ser enfrentados e os militares podem ser parte da solução, dentro da democracia e dentro das leis.

Considerando isso, quando se foca neste besteirol de intervenção militar, perde-se tempo em discutir como os militares poderia, de fato, ajudar o país, ao invés de apenas gastarem bilhões com as aposentadorias de suas “filhas solteiras” e mordomias.

Discussão que deixo pra momento, agora quero discutir a “honestidade” dos militares e a capacidade que eles teriam para botar ordem no país.

Começamos por: o que seria “ordem”? Algo do tipo: roubou, morreu? Discordou, sai do país, vai preso ou morre? Falou ou discursou contra é torturado? Se isso for ordem pra vocês, não falamos a mesma língua, então peço até que você pare de ler este meu artigo, que não trará nada de novo.

Se ordem, ao contrário, seria a construção de uma sociedade justa, com distribuição de renda mais igualitária, sem pessoas passando fome, sem trabalho escravo, sem déficits sociais, e com liberdade, democracia, justiça, pode continuar a ler.

Volto, então, ao início do texto, quando eu disse que “acredito que quem ainda defende uma intervenção militar no Brasil, o faz pensando que os militares estão ‘acima de quaisquer suspeitas’.”

Eu sinto decepcioná-los, mas não é assim. Abra sua mente, se conseguir, e veja além do véu que cobre seus olhos. Leia um pouco, pois talvez o que te falte é leitura.

Vamos aos fatos:

Uma pequena pesquisa nos traz casos de corrupção ocorridos durante a ditadura. Atento aqui para o fato de que TUDO era às escondidas, as informações eram blindadas, quem sabia e abria o bico morria. Então, estes dez casos são, provavelmente, uma amostra do que havia.

–> 10 casos de corrupção durante a ditadura militar

–> Histórias de corrupção na ditadura

–> É ilusão

Mas, podemos também ver os casos atuais. Dezenas de casos de tráfico de drogas, tráfico de armas, roubos, assassinatos e muitos outros – até mesmo estupro! – envolvendo militares, sejam soldados sejam oficiais e grandes patentes.

Detalhe: não estou falando da PM – Polícia Militar – porque, senão, seria covardia. Fiz questão de não inserir aqui qualquer crime feito pela Polícia Militar, essa que está no nosso dia a dia, nas ruas.

Faça uma pesquisa e abra sua mente. Não adianta dizer que “são exceções”, pois as exceções são muitas. E, mais uma vez: é o que ficamos sabendo. Afinal, quanto a própria polícia e justiça militares não escondem de nós o que acontece?

Poderia a lista ser infinita, é só continuar pesquisando o que HOJE SE PODE DIVULGAR.

Mais umas leituras, pequenas, pra facilitar:

De brinde, uma notícia relacionada à Polícia Militar, de tão bizarra que é:

Todos estes casos acontecem diariamente, com os militares fora do poder. Talvez a certeza da impunidade – afinal, quem vai desconfiar de um militar, não? Mas, com certeza, porque a força militar é constituída por pessoas. Pessoas comuns, como eu e você, mas servidores do Estado, fardado e com prerrogativas e mordomias.

Que ilusão passa pela mente das pessoas ao achar que, no poder, eles não seriam corruptos? Não traficariam armas e drogas, tendo o controle do país, das fronteiras, etc.?

Que ilusão passa na mente das pessoas ao não perceber que, no poder, seriam ainda muito mais atuantes e estes casos, que hoje nos aparecem, não seriam abafados com tortura e morte?

Podemos chamar de ilusão, de ingenuidade, mas o que falta mesmo é estudo.

Abraços,

Declev Reynier Dib Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *