Home » Meio Ambiente » Educação Ambiental » Minha tese de doutorado

Minha tese de doutorado

Depois de alguns meses…

Acho que chegou a hora de divulgar minha tese de doutorado.

Sim, sobrevivi…

O trabalho foi desenvolvido no doutorado em Meio Ambiente na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Chama-se Educação Ambiental na Educação Formal: do Paradigma Moderno ao Paradigma da Complexidade.

Eis o resumo:

DIB-FERREIRA, Declev Reynier. Educação ambiental na educação formal: do paradigma moderno ao paradigma da complexidade. 193f. Tese (Doutorado em Meio Ambiente) – Instituto de Biologia Roberto Alcântara Gomes, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2010.

A educação ambiental vem sendo disseminada por grande parte das escolas do país, conforme atestam pesquisas oficiais, mas uma lenta transformação a acompanha no que diz respeito à mudança dos princípios do modelo de desenvolvimento industrial, que enfatiza o consumismo como estratégia de reprodução. Ao mesmo tempo em que as pesquisas sugerem uma ampliação da consciência ambiental da sociedade como um todo, percebe-se um acirramento dos problemas socioambientais e soluções sendo alcançadas em escala inferior ao patamar considerado desejado. Onde estaria, então, o problema? Qual a razão desta possível defasagem educação ambiental x resultados? Foi com o intuito de responder a estas perguntas que essa tese foi realizada. Parte-se de uma percepção de que a Educação Ambiental praticada na escola reflete e acentua o paradigma moderno hegemônico, que se baseia em uma concepção dualista homem / natureza, em que uma está a serviço do outro, sem promover o questionamento sobre os desdobramentos da adoção dos valores da sociedade de consumo no desequilíbrio da vida no planeta. Essa dicotomia entre cultura e natureza, sociedade e ciência, sujeito e objeto se reflete na busca de soluções parciais, incompletas, visando-se apenas a uma parte do problema socioambiental, que não é visto como um sistema complexo. A educação ambiental realizada nessas bases dificulta a reunião das condições necessárias à mudança das estruturas da atual sociedade brasileira e à busca das soluções dos seus problemas socioambientais. Nessa perspectiva, esse trabalho objetiva criar subsídios para um caminho para a educação ambiental que possa contribuir para uma visão complexa da realidade e dos problemas socioambientais, na busca de soluções mais abrangentes. Para isto, procura entender: a) como a teoria da complexidade poderia colaborar para esta mudança; b) em quais modelos práticos e teóricos a Educação Ambiental ocorre no Brasil, ou seja, quais as diversas tendências da educação ambiental brasileira; e c) como esses modelos se expressam nas práticas dos professores analisando-se artigos publicados em anais de seminários, congressos e/ou encontros sobre o tema.

Palavras-chave: Educação Ambiental. Educação Formal. Paradigmas. Complexidade.

Ei-la. Divirtam-se:

Tese de Doutorado – Declev Reynier Dib-Ferreira

Declev Reynier Dib-Ferreira
Sobrevivente

About Declev Dib-Ferreira

Declev Reynier Dib-Ferreira é professor, biólogo, educador ambiental, especialista em EA pela UERJ, mestre em Ciência Ambiental pela UFF, doutor em Ciências pela UERJ.

Check Also

Os diálogos inter redes na perspectiva dos Fóruns brasileiros de educação ambiental

A Rede Brasileira de Educação Ambiental – REBEA – foi criada em 1993 e articula, …

3 comments

  1. li o resumo achei muito interessante. parabéns!

  2. Rapaz,gostaria de sentir algo ao ler o resumo da sua tese,mas desisti da Biologia há anos,uns 6,pelo menos.É:sou licenciado em Biologia pela USP.Parece que,de tanto dar aulas desenvolvi um desinteresse muito grande pela nossa bela ciência.É como eu disse em outro comentário que fiz aqui:sou mais músico que docente.Mas,ainda assim,parabéns

    • Oi Valter, obrigado.

      O fato de ter me tornado professor de ensino fundamental, confesso, também trouxe uma série de desinteresses em mim… Parece que é um toque de midas ao contrário.

      No meu caso, sou muito mais artista plástico que docente… mas frustrado!

      Abraços,