Carta aberta ao governador Sérgio Cabral e ao secretário de Educação Wilson Risolia

Recebi esta carta por comentário.

Perguntei à autora se poderia publicá-la, o que me foi autorizado.

Acho que essas situações têm que ser publicizadas o mais amplamente possível.

Qualquer semelhança, não é mera coincidência.

Educação de qualidade, pra quem?

Abraços,

Declev ReynierDib-Ferreira
Ainda consternado

 

Carta aberta ao governador Sérgio Cabral e ao secretário de Educação Wilson Risolia

Excelentíssimo Sr. Governador Sérgio Cabral
Excelentíssimo Sr. Secretário de Educação Sr. Wilson Risolia

Nós, professores lotados no Ciep 339 Mario Tamborindeguy, Estrada Pedro Borges de Freitas, s/nº, Irajá, Rio de Janeiro – apoiamos e estamos comprometidos com o resgate da qualidade da educação pública do Estado do Rio de Janeiro.

Solicitamos a V.Ex.as providências para resolver o problema da falta de recursos da nossa escola, pois receamos que o mesmo poderá prejudicar os resultados das metas projetadas pela SEEDUC para 2014.

Em função da quantidade de alunos e do tamanho da escola, a verba disponível é insuficiente para custear a manutenção predial e as cópias (xerox) de textos de apoio, testes e provas referentes ao primeiro bimestre de 2011. Além dos problemas acima citados, a escola enfrenta a falta de funcionários para providenciar a confecção desse material.

Para desenvolvermos um bom trabalho, necessitamos desse material e não temos condições financeiras de arcar pessoalmente com esses custos, como também não podemos pedir aos alunos nenhum tipo de contribuição financeira, pois estaríamos infringindo a lei.

Como estamos todos unidos em torno de uma causa comum, tomamos a iniciativa de fazer esse pedido, pois a diretoria, apesar da boa vontade, não tem condições de resolver esse problema que acreditamos ser provocado pela regulamentação do uso de verbas definido em administrações anteriores.

Considerando que o plano de metas elaborado pela SEEDUC prevê diversas avaliações, é contraditório não podermos aplicar os testes e provas bimestrais por falta de recursos. Como pode um aluno ter um bom desempenho nas avaliações do SAERJ, IDEB e ENEM se esse mesmo aluno não está habituado a fazer avaliações?

Gostaríamos de salientar a importância da aplicação de atividades com textos de apoio, já que os livros didáticos não possuem todos os exercícios de que precisamos para desenvolver as habilidades e competências determinadas pelos Currículos Mínimos.

Em outras unidades de ensino pertencentes ao estado, como por exemplo, a FAETEC e o CAP UERJ, os docentes têm à sua disposição equipamentos e material para providenciar cópias (xerox) de textos e os resultados obtidos nas diversas avaliações pelos alunos dessas instituições demonstram a eficácia desse recurso. Entretanto, nós e nossos alunos não podemos dispor desse recurso no Ciep em que lecionamos. Não podemos concordar com essa situação, pois o princípio da igualdade de condições e qualidade da educação oferecida pelo Estado está sendo desrespeitado.

Objetivando preparar os nossos alunos para atingir até 2014 as metas proposta para o IDEB, temos o dever e a obrigação de unir esforços no projeto de reforço da leitura e da interpretação de texto que é um dos pontos principais da estratégia elaborada pela SEEDUC. Consideramos, também, que essa prática não deve ficar restrita apenas à disciplina de Língua Portuguesa e o reforço por partes dos docentes de outras disciplinas não deve ser ignorado, daí a importância do trabalho com textos de apoio.
Por isso, temos a certeza de contar com o apoio de V.Ex.as para alcançar o nosso objetivo que é oferecer à população do Estado do Rio de Janeiro uma educação pública de qualidade.

Respeitosamente,

Maria da Graça de Aguiar RG: 04778358-4 IFP
Ricardo de Oliveira Freitas RG: 09940466-7 IFP