Monografia: “História ambiental do Morro do Céu, Niterói – RJ”

A região do Morro do Céu, Caramujo, Niterói, era, até cerca de 20 anos atrás, uma região de colinas e vales, dominados por sítios, de bom clima, poucos habitantes, muitos recursos naturais, como matas, nascentes, animais silvestres. Após o fechamento do lixão de Viçoso Jardim, em bairro adjacente, a prefeitura de Niterói passou a levar o lixo para o aterro controlado de Gramacho, em Duque de Caxias. Como o custo de tal operação era demasiado alto, a nova prefeitura da cidade se viu na incumbência de providenciar um local para servir de vazadouro de lixo.

Desta forma, em 1983, todo o lixo a cidade de Niterói passou a ser jogado, sem nenhum tratamento, na região do Morro do céu.

Este trabalho visa a contribuição para o resgate da História Ambiental desta região, construída a partir das lembranças e depoimentos dos moradores e das diversas pessoas e instituições que participaram da instalação da lixeira, buscando uma discussão entre as diferentes contribuições de cada ator social envolvido.

Download: MONOGRAFIA: História ambiental do morro do céu. (zip, 260K)

16 comentários sobre “Monografia: “História ambiental do Morro do Céu, Niterói – RJ”

  1. Eu gostaria muito de saber como podemos fazer alguma coisa para tirar o lixão do morro do céu sou moradora de la e por tanto me vejo na obrigação de fazer algo, o cheiro é insuportátel, crianças brincm bem proximo a lixo que não é tratado o que fazer para a prefeitura tomar uma providencia ou sera o IBAMA o órgão competente.
    desde ja agradeço
    att
    sonia

    • Oi Sonia,

      Não dá pra “tirar” o lixão dali. É impossível.

      O tratamento do lixo lá é ser aterrado. Aquilo é um aterro. Entção, o que a prefeitura pode fazer é parar de jogar lixo lá, depositar em outro lugar, e tratar do Aterro do Morro do Céu: cobrir com terra, monitorar os gases, o chorume… Mas o lixo continuará ali.

      Devemos lembrar que aquele local serve de depósito de lixo desde 1982, ou seja, há 25 anos. De lá pra cá, muuuuuuuuuuuita gente foi morar lá, mesmo sabendo do lixão. Havia poucos moradores na época.

      Mas em qualquer lugar que há um aterro, há problemas.

      E como falta espaço na cidade, muito provavelmente o lixo continuará indo pra lá. Ou iremos impactar outro local.

      O mais sensato, para mim, é manter o Morro do Céu como um local digno de se viver, mesmo com o aterro.

      Asfalto, urbanização, linhas de ônibus, segurança…

      Como eu disse, afinal, lá já está impactado com o lixo. Iremos fazer isso onde?

      Mas a questão do cheiro pode ser diminuída com o aterramento sistemático, a coleta seletiva pode diminuir a quantidade de lixo que vai pra lá, os caminhões podem ter horários certos para entrar…

      Não é uma questão fácil. Como eu disse, se acharmos outro local para o despejo do lixo, aquele continuará lá e deverá ser tratado.

      abraços.

  2. Eu queria falar sobre esse absurdo que acontece lá aonde eu sou nascido e criado, eu fico revoltado quando eu vou lá e vejo essa situação, por isso acho que alguma altoridade tinha que olhar pela aquele local, e pelas tantas barbaridades que lá acontecem.

  3. em primeiro lugar,nunca poderiam ter lixoes em lugar nehum do mundo,nem em niteroi,sao gonçalo e caxias, as autoridades nunca morariam nestes lugares,por esse motivo nao estao nem aí para esse problema. um abraço.

  4. eu morro no morro do ceu ha 34 anos e isso tudo qque esta acontecendo e prova de que esses politicos nao valem nada e que nosa justça esta sempre do lado de quem tem dinheiro pq eles nao estao pensando nessas familhas que serao desapropriadas ate por que as avaliaçao esta sendo do jeito deles nao moramos la de favor temos documentos nao envadimos aquela area como eles e agora quem esta sofrendo com isso tudo somos nos eles querem pagar uma mereca pelas nossas casas descontando valos de documentos no valor do pagamento das casaseles preferem tirar nos de la para continuar o lixao e justo nossas casas virarem lixao? mesmo depois do acidente do Bumba eles continua prejudicando os probres ai daqui a pouco eles constroi casas em cima do lixao para matar mais pobres eles jogam lixo a vontade depois de destruir nossas casas eai urbaniza m a outra parte do lixao e vende pros inocentes so para ganhar voto esse e o Brasil que vivemos um monte de vagabundos querendo se dar bem e iludindo os pobres.

  5. Querida Professora ADELINA SANTOS DA COSTA,VOCE ESTÁ COBERTA DE RAZÃO,NINGUÉM FOI CRIADA PARA MORAR PERTO DE LIXO,MUITO MENOS DENTRO DE LIÇÕES.EU MESMO JÁ TIVE OPORTUNIDADE DE TIRAR ALGUÉM QUE MORAVA DENDRO DO LIXO NA LOCALIDADE DE ITAÚNA OUTRO LIXÃO NO MUNICÍPIO DE SÃO GONÇALO,QUE COISA TRISTE E TERRÍVEL,UM FORTE ABRAÇO A TODOS.

  6. olha só se ñ tirarem a merda daquele lixao da li eu vou processar a prefeitura,vcs sao um inuteis pra que se canditol pra acabar com o morro do ceu ja é feio, com a aquele lixao piora.
    vamos nus juntar e nos mesmos moradores vamos tirar,e ai da prefeitura se vier reclamar

  7. Estou fazendo monografia curso de especialização em saúde do trabalhador,tema falar sobre os garis da minha cidade,objetivo é tipos de riscos que estão expostos e conhecer os acidentes de trabalho que podem acontecer na sua atividade laboral,podem me ajudar?

    • Oi Salete,

      O melhor para vc fazer algo assim é ir direto à fonte: os garis.

      Faça um questionário com as principais perguntas que vc quer saber e vá falar com eles.

      O melhor é um questionário semi-aberto, qeur dizer, com perguntas, mas que vc as faz e ouve as respostas, conversando com eles.

      Peça autorização para gravar e deixe claro que nenhum nome será divulgado, que o anonimato será preservado.

      Depois procure pessoas ligadas à emrpesa de limpeza e faça também entrevistas.

      Come ste material você poderá escrever seu trabalho.

      Abraços,

  8. Professor sou estudante de licenciatura de Ciências biológicas Amei seu site vou fazer meu TCC sobre resíduo sólido. Muito obrigadaaaa por essa colaboração que Deus lhe pague em dobro tudo que o Senhor fez aqui.

Os comentários estão encerrados